Anúncio

A mais nova moda do cinema é o multiverso, mas sinceramente poucos conseguiram trabalhar bem esse conceito, inclusive o pioneiro disso também não fez um bom trabalho, mas quando uma obra se está na mão de quem conhece e sabe como fazer um grande filme, principalmente se o estúdio é A24, pode confiar que vai dá bom. Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo, com distribuição da Diamond Films, é a obra prima trabalhada no mais louco e bizarro multiverso que parece confuso, mas é mais fácil do que aparenta no geral e consegue não só impactar como se isola no pedestal dos melhores filmes de 2022 até agora.

A frase “no caminho eu explico” define o filme por inteiro, muitos serão pegos desprevenidos e não entenderá nada a princípio, mas não têm o que desesperar, o começo é resumidamente nada do filme ainda, apenas a base da vida de Evelyn (Michelle Yeoh), depois desse pontapé as coisas começam a sair do controle, mas não em roteiro, o filme se mantém conciso na trama e consegue desenvolver não só todos os personagens e os plots da trama como todas as loucuras do multiverso, sinceramente foi uma aula de como fazer cinema. O conjunto da obra é impecável, trabalha humor e drama junto com momentos de ação e troca de diálogos sem se mostra arrastado ou lento demais, para um filme que trabalha tanta profundidade assim, foi bem simples assistir ele, podemos dizer que é um equilíbrio do cinéfilo cult para o nerd moderno, dá um baile em muito filme dito grande por aí.

Falar que o elenco foi bem é pouco, pensar que eles tinham que mudar a personalidade a cada mudança de multiverso é algo impressionante, ficou espetacular o quanto cada um trabalhou bem em cena, isso não estou dizendo só personagens principais, digo até os secundários que foram tanto alívio cômico quanto épicos em cenas de luta fizeram muito bem, sem falar em como as cenas de diálogos escalonam em cada situação, é sair de um personagem mais contido para um completo lutador de artes marciais, e junto o modo de falar também muda, o contido se torna mais imponente e vice versa, é o extremo da perfeição que a sétima arte pode proporcionar. Com certeza um dos melhores senão o melhor filme do ano, acho difícil de mais alguém bater de frente com essa obra prima; O mais louco é ele ainda conseguir ser um pouco blockbuster, ser bem divertido e emocionante na medida certa.

Tudo em todo o Lugar ao Mesmo Tempo é o alívio de assistir um filme que finalmente soube trabalhar o multiverso, esse que é o mais novo hype do cinema tem se espalhado em todas as obras possíveis, mas poucos alcançaram o objetivo, sem parecer confuso muito menos precisar de outros filmes para vinculá-lo, esse novo filme do A24 soube trabalhar os maiores absurdos, passar dos limites sobre poderes do multiverso e conseguir se manter em um filme incrível.

Anúncio
REVIEW
Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo
Artigo anteriorCoca-Cola Creations lança novo sabor com o artista Marshmello
Próximo artigoASUS anuncia promoção Férias de Inverno Gamer
Editor, escritor, gamer e cinéfilo, aquele que troca sombra e água fresca por Netflix e x-burger. De boísta total sobre filmes e quadrinhos, pois nerd que é nerd, não recusa filme ruim. Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês.
tudo-em-todo-o-lugar-ao-mesmo-tempo-reviewDirigido por Daniel Kwan e Daniel Scheinert, conhecidos como Daniels, TUDO EM TODO O LUGAR AO MESMO TEMPO, cheio de ação e humor, conta a história de Evelyn Wang (Michelle Yeoh) uma mulher que se envolve por acaso em uma aventura multidimensional que coloca o destino de todos os universos em suas mãos - e também a faz questionar quem ela é para si mesma e sua família.