Imagem Divulgação: Pixabay
Anúncio

O mercado dos players passou por grandes transformações desde seu surgimento até alcançar a legião de fanáticos por jogos. Mais do que um hobby, o mercado de jogos eletrônicos se tornou uma potência quando o assunto é lucro.

Essa diversão tomou conta das famílias brasileiras por seu sucesso com a criançada e também com os adultos, que são apaixonados pelo universo game.

Mas esse mercado teve que enfrentar uma longa jornada até ocupar o topo dessa cadeia econômica, fazendo com que grandes marcas tivessem que se adaptar a novas tecnologias e buscar inovações capazes de atrair o público gamer.

Por trás de todo esse sucesso foram criadas estratégias para driblar a pirataria e o produto paralelo. Pensando nisso, o site de eSports bets Betway desenvolveu uma pesquisa com os principais desafios encontrados pelas grandes marcas neste período de transição e adaptação ao novo.

Mais do entretenimento, o universo dos games formam uma nação e junto com ela, uma fonte incrível de altos lucros para seus idealizadores.

Extremamente comum nos lares brasileiros, a estruturação de uma cultura game foi condicionada a um mercado paralelo onde a pirataria, o plágio e a comercialização de produtos paralelos teve sua contribuição negativa para a indústria produtora de games. Mas, por outro lado, auxiliou na popularidade da prática esportiva.

Anúncio

O Playstation, por exemplo, teve seu lançamento a uma velocidade surpreendente no Brasil, ou seja, com grande visibilidade no mercado brasileiro. Porém essa acessibilidade se deu de forma ilegal, já que milhares de cópias de jogos piratas foram lançadas no comércio com preços inferiores aos originais.

Isso causou vasta expansão e grande acesso a várias modalidades de jogos antes considerados inacessíveis por milhares de brasileiros.

Imagem Divulgação: Pixabay

O mercado alternativo de games

Falar em jogos eletrônicos e pensar na trajetória percorrida pelos produtores é algo inimaginável, visto que ao menos um em cada 3 jogadores já tiveram acesso a alguma forma de pirataria.

Considerado o “câncer” da indústria de games, a pirataria teve o papel de disseminar e popularizar os tão desejados e famosos games. Essa transição ocorreu entre o final dos anos 90 e início dos anos de 2000.

O lançamento do famoso Playstation foi o marco de uma verdadeira febre entre os gamers mais fanáticos, causando uma verdadeira evolução quando o assunto é acesso aos jogos eletrônicos.

O Playstation revolucionou a forma de utilização da tecnologia, substituindo as obsoletas fitas e cartuchos por modernos CD´s. Porém, juntamente com toda essa modernidade surgiu o mercado alternativo da pirataria.

Produtos pirateados sempre foram facilmente encontrados em bancas de camelôs com preços infinitamente mais acessíveis que os originais, visto que se tratavam de réplicas, ou seja, o acesso aos jogos se tornou algo corriqueiro entre os praticantes.

O impacto da pirataria para o mercado de jogos eletrônicos

Embora a pirataria tenha tornado popular o acesso aos jogos criados, a prática trouxe consequências desastrosas para as produtoras de jogos eletrônicos. Afinal, a oferta de produtos no mercado paralelo movimentou milhões em réplicas e cópias de baixa qualidade e preço infinitamente mais acessível aos usuários.

Ao atingir todas as camadas sociais, a popularidade deu espaço a um farto mercado de consumidores, o que despertou ainda mais o interesse de grandes indústrias em investir em tecnologias capazes de transformar a história dos jogos eletrônicos no Brasil.

Também surgiu um novo mercado chamado Mods, ficando amplamente conhecidos pelos adeptos dessa modalidade esportiva. Os Mods são games alterados em sua estrutura digital, tornando popular os tão inacessíveis jogos e fazendo possível o acesso por jogadores e apreciadores do mundo player.

A cultura gamer teve nova transição em dezembro de 2006, onde foi lançado o Xbox 360 no Brasil, tornando o acesso praticamente irrestrito, facilitando o acesso sem se preocupar com a aquisição de títulos ou produtos originais. Isso fez com que produtoras especializadas repensassem sobre as consequências da pirataria e do contrabando no meio do esporte eletrônico.

Quando comparada com a Nintendo e a Sony, a Microsoft era a que tinha menor aptidão e conhecimento no mercado e foi com muita ousadia que ela anunciou o lançamento do Xbox. Ele foi sucesso de vendas em todo o país, marcando o segmento da indústria do entretenimento dos jogos eletrônicos no Brasil.

Espera-se que esse mercado siga cheio de inovações cada vez mais atrativas para esse segmento tão dinâmico e promissor no mundo dos games e, com ele, novas oportunidades de negócios e disseminação de diversão acessível a todos.

Anúncio