Anúncio

Akira Toriyama está de volta a Shounen Jump com seu novo mangá de aventura chamado Jaco, o Patrulheiro Galáctico (Ginga Patrol Jako).

Quando essa notícia foi publicada, tornou-se algo viral e todos os sites e ‘grupos’ relacionados a mangá foram ao delírio. Também não é pra menos, poder acompanhar uma obra do mestre Toriyama é algo para se comemorar e muito.

O que esperar?

Sou grande fã dos mangás do Akira Toriyama – sem dúvidas é um dos meus mangakas favoritos e, quando Ginga Patrol Jaco saiu, minha reação foi uma só: Excelente e bem a cara ‘dele’ mesmo.

Fiquei muito empolgado com o lançamento e logo fui divulgando (forçando) para meus amigos lerem.

Depois disso, resolvi pesquisar para saber qual a opinião do público e dos sites relacionados sobre mangás a respeito de Ginga Patrol Jaco e fiquei surpreso com o que li.

Muitos consideravam o mangá mediano e nada inovador com os seguintes adjetivos: Simples demais. Mas, o que esperavam de uma mangá do Akira Toriyama?

Anúncio

Algumas das características marcantes das obras do mestre sempre foram a simplicidade (que eu admiro e muito), as piadas escrachadas e os traço ‘de sempre’, características que fizeram Akira Toriyama dominar o mundo há alguns anos. Dragon Ball, Dr.Slump, Sandland, Cowa entre outros, sempre tiveram a mesma formula e sempre deram certo.

Quando li algumas críticas falando da simplicidade do mangá como algo ruim, pensei: Talvez o público que tenha mudado. Jaco, o Patrulheiro Galáctico é ‘Toriyama’ e isso é maravilhoso.

Caindo na Terra por acidente? 

Falando um pouco sobre o mangá… Jaco é um alien patrulheiro que por acidente acaba caindo na Terra e vai parar em uma ilha com somente um habitante: o velho rabugento Oomori.

Jaco é responsável por proteger a Terra da invasão de alguns ETs malvados (já vi isso em algum lugar…), mas não poderá faze-lo com sua nave danificada. Oomori resolve ajuda-lo, já que o mesmo é engenheiro. Falando um pouquinho mais sobre o velho… Oomori vive sozinho na ilha desde um acidente com seu antigo projeto, uma maquina do tempo.

Quando o começou a construir, mudou para a ilha junto com sua mulher e equipe. Devido ao acidente de trabalho que não foi por sua culpa, o projeto acaba explodindo e matando todos na ilha, o que incluiu sua mulher. Oomori passa morar sozinho por lá para terminar o projeto em respeito a sua mulher que adorava o lugar.

Voltando a história, Jaco diz a Oomori que não é possível e nem permitido construir uma máquina do tempo; Completa dizendo que nenhuma raça conseguiu tal feito.

Mesmo depois disso, o velho ainda decide ajudar o alien a consertar sua nave, que em troca desse favor, oferece a Oomori um jeito de resolver seu problema: Acabar com toda a raça humana!

Oomori vai logo de cara contra Jaco dizendo que ainda existem pessoas boas no mundo (mesmo ele sempre reclamando), mas Jaco já está decidido. Até a invasão dos ‘vilões’ – ou ets malvados –  Jaco vai decidir se vale mesmo a pena salvar a raça humana.

Se encaixa na atual Shonen Jump?

Concordo com alguns críticas dizendo que Ginga Patrol Jaco não é um mangá para a ‘atual’ Shonen Jump, mas tenho certeza que não foi essa a proposta.

Com previsão de somente 10 capítulos (uma pena), Jaco, o Patrulheiro Galáctico é divertido e vale a pena sim!

E os amantes de Dragon Ball e mangás da velha guarda ainda vão ter um gosto a mais ao ler.

Por Franja

Anúncio