Anúncio

ID: Invaded é um anime original da Temporada de Inverno 2020. É um sci-fi de mistério do estúdio NAZ, conhecido por “Hamatora”. Seu diretor, Aoki Ei, dirigiu animes como “Re:Creators” e a segunda temporada de “Fate/Zero”. Já o roteirista, Maijou Outarou, criou e roteirizou o anime de 2 episódios “Ryuu no Haisha”.

O anime conta a história de um esquadrão especializado da polícia chamado Kura, que investiga casos de serial killers. Para desvendar os crimes, os policiais utilizam armas especiais para coletar amostras de “intenções de matar”, chamadas de partículas de cognição, deixadas inconscientemente nas cenas dos crimes.

Essas partículas não são materializadas, podendo ser coletadas apenas por esses equipamentos. Basicamente, quando alguém tem intenção de matar outra pessoa ou realmente a mata, esse sentimento fica espalhado no local, se transformando em vestígios que ajudam a polícia a identificar o assassino.

A partir dessas amostras, é possível enviar a mente de pessoas para dentro do inconsciente dos assassinos. Isso é feito através de um equipamento tecnológico parecido com uma espécie de cadeira. Ele é chamado de cockpit, e é onde a pessoa senta e se conecta ao serial killer. Enquanto o infiltrado está dentro disso que eles chamam de “ID”, ou como ficou na tradução, “poço”, os policiais da Kura conseguem monitorar simultaneamente as imagens captadas por ele, e analisar os IDs.

Procurando respostas

É um trabalho minucioso, que necessita de pessoas competentes. É aí que entra o protagonista, Narihisago Akihito. Ao entrar no ID, ele se esquece de quem é, se lembrando apenas que é um detetive brilhante chamado Sakaido. Sempre que entra, ele se depara com o corpo de uma garota, a Kaeru, que o faz lembrar “quem é” e porquê está ali, que é sempre o mesmo motivo, decifrar a morte dessa garota. Cada ID é diferente, então o motivo de sua morte sempre varia. Quando ele descobre como ela morreu, ajuda os policiais a descobrirem sobre o serial killer daquele ID.

Cada serial killer recebe um nome de acordo com seus crimes e preferências para matar, assim como na vida real. Aparecem vários ao longo do anime, sempre deixando aquela sensação de “corrida contra o tempo”, afinal, os policiais devem encontra-los antes deles encontrarem a próxima vítima. Isso deixa o anime mais emocionante. Mas um deles é mais recorrente: John Walker. Ele é o maior mistério da obra.

id invaded

Desenvolvimento

ID: Invaded trabalha muito bem os mistérios na trama, não entregando logo de cara as partes importantes. É tudo mostrado de forma gradativa, tanto que, nos dois primeiros episódios, ainda é bem difícil entender como funciona aquele universo. Mas isso é um ponto superpositivo, já que deixa o espectador instigado do começo ao fim.

O anime é bem amarrado, e se fecha de uma forma espetacular, conectando o início ao fim com maestria. Seus últimos episódios são cheios de ação, bem mais que o restante, dando um baita gás na resolução final.

id invaded

Da questão técnica de ID: Invaded

Alguns personagens têm um design de personagens muito peculiar, facilitando a lembrança deles, como o próprio Sakaido e os serial killers, mas outros personagens são mais comuns, podendo ser facilmente confundidos. Mas, no geral, o design é agradável, fugindo do comum em alguns pontos, como os olhos. O que se destaca mesmo é o design dos IDs, que, muitas vezes, possuem elementos diferenciados, para podermos distinguir o que é real do que é o inconsciente.

A animação é muito boa e competente e, novamente, é bem melhor quando se trata de cenas dentro dos IDs, já que esses espaços pedem uma estrutura e efeitos diferenciados e mais abstratos.

Esse anime tem uma trilha sonora impecável. Sua abertura, “Mister Fixer”, cantada pelo Sou, é muito envolvente e já te cativa logo no começo. O encerramento é de arrepiar, afinal quem canta é o Miyavi, que sempre participa de trilhas de animes com ótimas músicas. Além da ótima “Other Side”, que toca ao final dos episódios, outras faixas do cantor aparecem no anime, como “Samurai 45” e “Butterfly”, todas de seu último álbum “No Sleep Till Tokyo”.

id invaded

Um dos melhores da temporada

Um dos maiores problemas do anime é ele ser um tanto confuso. É aquela obra que você não pode piscar, senão já se perde com os acontecimentos seguintes. Quem for assistir, recomendo ficar bem atento a tudo, principalmente aos personagens, para não se perder na trama.

ID: Invaded foi um dos melhores animes da temporada, com certeza. Indico muito para quem gosta de obras de mistério, investigação e inconsciente, como “Psycho-Pass”, “Paprika” e até o filme “A Origem”. Essas obras têm pontos semelhantes e pode agradar os fãs.