sega microsoft xbox sonic
Anúncio

Nas últimas semanas, a Sega, empresa japonesa responsável pela criação de diversos jogos e de um dos personagens mais icônico dos games, vem passando por um período agitado. Do fechamento de uma de suas localidades mais icônicas e da renúncia de seu presidente a rumores de que haveria interesse da Microsoft em comprar a empresa. Nesse post vamos tentar fazer um resumo do que aconteceu, está acontecendo e pode acontecer com a empresa do nosso ouriço azul velocista preferido.

No dia 30 de agosto, o Sega Akihabara Building n° 2 fechou as portas e encerrou suas atividades. O prédio, que tem oito andares, fica no centro comercial Akihabara – que é conhecido por reunir diversos estabelecimentos relacionados ao universo geek e otaku e está localizado no bairro de Sotakanda em Tóquio.

No lugar funcionava uma galeria de fliperamas que, após sua inauguração em 2003, se tornou um ponto icônico para os fãs. A Sega não divulgou um comunicado oficial para justificar o fechamento do estabelecimento, porém, há hipóteses de que a pandemia de Covid-19 e, consequentemente o isolamento social, tenham contribuído para o cancelamento das atividades, já que houve uma diminuição no movimento do centro comercial e dos negócios.

Os fãs do agora ex-fliperama da Sega mostraram grande tristeza pelo fechamento do lugar. No Twitter, o usuário @Kaztsu divulgou diversas fotos da área externa do prédio que aos poucos vai perdendo todas as cores e logomarcas que o identificavam anteriormente. Você pode ver o tweet abaixo.

Outro rumor que vem circulando a internet é de que a Microsoft estaria em negociações para comprar a empresa conhecida por criar o simpático ouriço velocista. Como escrito anteriormente, as informações não passam de rumores, mas há algumas supostas pistas nas redes sociais da Sega e, com a recente compra da Bethesda pela Microsoft, os boatos ganham ainda mais força (pois podemos subentender um desejo da Microsoft de expandir o seu mercado de exclusivos e empresas adjacentes com o lançamento da sua nova geração de consoles).

As provas encontradas pelos fãs estão principalmente localizadas em postagens realizadas no twitter, que envolvem a realização de um X suspeito em uma pose para fotografia, um controle para Xbox que segue a paleta de cores do Sonic e uma exclusividade temporária para o jogo Yakuza: Like a dragon – o que prova que houve alguns acordos entre as duas empresas.

“Os fãs observaram que a pessoa na foto realiza um X com as mãos” (coincidentemente – ou não – os twitteiros também observaram que é possível observar uma caixa/box na foto).  

A principal complicação para a compra da Sega (ou da Sega Sammy Holdings – que é como a empresa se apresenta na bolsa, incluindo sua ramificação responsável pelos pachinkos) seria o fato de que ela funciona em capital aberto. Ou seja, ela está na Bolsa de Valores e para que alguém seja influente nas decisões de uma companhia desse tipo, é necessário que ela se torne uma acionista majoritária da empresa (o que implica em possuir a maioria das ações da Sega, no caso).  Apesar de ser um processo bem burocrático, a façanha não seria impossível para a gigante de Bill Gates.

Apesar da compra ser um rumor, há fortes indícios de uma parceria entre as duas empresas. Outra observação é que a Microsoft também poderia estar interessada em expandir o seu público oriental e estaria interessada na aquisição (ou parceria) de uma empresa já estabelecida no Japão.

E se as mensagens subliminares e a burocracia  ainda não forem suficientes para levantar suspeitas, fãs notaram uma coincidência no mínimo estranha. A pré-venda dos novos consoles da Microsoft terá início no dia 25 de setembro, no mesmo dia da conferência da Sega na Tokyo Games Show 2020. Esse fato, apesar de parecer mais uma coincidência, também pode indicar alguma parceria mais profunda entre as duas companhias.

Outro acontecimento de peso dentro da empresa, que agora também fortalece as teorias, foi a renúncia do presidente da Sega, Kenji Matsubara, que estava no cargo desde 2017. De acordo com o comunicado oficial, a saída teve como motivo “razões pessoais”. Desde a saída de Kenji no final de julho, muitos estranharam a saída abrupta e a Sega não deu mais declarações sobre o assunto. Porém, com o surgimento dos rumores da venda da empresa, muitos atribuem esse fato à possível compra da Sega pela Microsoft.

Leia também: Microsoft anuncia a aquisição da Bethesda / ZeniMax