Anúncio

Quase dois anos depois de eu ter feito a primeira review para Dekoboko Sugar Days eu me vi com a continuação do que deveria ser apenas um volume único! A história de Yuujirou Matsukaze e Rui Hanamine continua de onde paramos com o volume anterior, e agora podemos descobrir o que o futuro reservou para os dois além dos sugar days. Agora venho fazer a REVIEW de Dekoboko Bittersweet Days, vem comigo.

Se você não conhece o volume anterior, vamos para uma breve introdução: Yuujirou e Rui são amigos de infância que se descobriram apaixonados um pelo outro. A grande “diferença” dos dois se dá pela altura dos mesmos, sendo Yuujirou o machão com seus 165cm e Rui super delicado com seus 186cm. Depois de algumas confusões e problemas de comunicação, eles finalmente aceitam seus sentimentos e começam a namorar.

Muito bem, o flashback tendo terminado, vamos para o que temos nesse novo volume. Os capítulos iniciais se dão para uma ambientação de como estão as coisas. Os dois namorados estão oficialmente no último ano da escola e, mesmo que felizes, começam a se perguntar do seu futuro. O que vão estudar na faculdade? Como eles fazem para assumir seu relacionamento para a família? É nessa pegada que encontramos os tais bittersweet days do título, que abordam justamente o que eu havia dito na minha review anterior.

“Muitos mangás boyslove optam por não trabalhar as dificuldades do preconceito de relações homoafetivas, e esse também é o caso. Não espere encontrar grandes questões familiares ou dificuldades para as personagens, toda a trama tem como problemática a identificação dos próprios sentimentos, e aceitação de um pelo outro.”

Quando eu escrevi essa passagem acima eu não sabia da existência desse segundo volume, será que leram minha crítica? Porque essa continuação traz justamente o que eu havia apontado e aborda de uma maneira muito bacana sobre as dúvidas sobre assumir um relacionamento “não normal” (palavras do próprio protagonista).

Além disso temos uma outra questão enorme: o que acontece quando nossos planos envolvem um caminho distante de quem amamos? Dekoboko Bittersweet Days me fez lembrar de mim mesma na época dos vestibulares, enquanto eu ficava cheia de dúvidas sobre meu futuro escolar e meu namorado da época.

Anúncio

Eu já havia apontado isso antes e vou reforçar: eu gosto como a história, diferente de muitos boyslove, não se foca em apenas um relacionamento assexual, ou relacionamento hypersexual (comum em mangás do gênero) mas trata a relação de Yuujirou e Rui de uma forma bem… normal, como a minha ou a sua, algo tão perto da realidade que chega a doer quando os dois estão sofrendo, porque facilmente poderia ser eu naquela situação.

Mesmo que os capítulos não se apeguem a grandes conflitos externos, os medos dos protagonistas são suficientes para criar a tensão que o mangá necessitava, e eu me sinto feliz demais em ler essa preciosidade da TokyoPop.

Acho que agora a trama já está fechadinha e sem espaço para continuações, mas caso role, eu certamente vou ler.

Anúncio
REVIEW
Dekoboko Bittersweet Days
Artigo anteriorTema de abertura de Bastard!! é divulgado
Próximo artigoHYBE nega boatos de que RM vai casar
Bibliotecária, especialista em conservação de histórias em quadrinhos, pesquisadora na área de educação, princesa da Disney e apaixonada por Sailor Moon a mais de 20 anos.
dekoboko-bittersweet-days-reviewPequeno e adorável quando se conheceram, Rui – ainda tão adorável – agora paira sobre seu namorado, Yuujirou. Embora eles fossem pouco mais do que melhores amigos no início, a confusão sobre seus verdadeiros sentimentos um pelo outro ardeu até que eles confessassem. Agora, cada dia passa com uma doçura tão avassaladora que é tudo o que eles podem fazer para não se perguntar: "Eu posso ser tão feliz?" O último concurso de judô do ensino médio, o último verão de suas vidas no ensino médio e além... o pensamento de seu futuro com Rui faz o coração de Yuujirou palpitar. Uma história de amor lenta entre um adolescente pequeno e atlético e seu melhor amigo imponente e de bom coração, enquanto eles percorrem o caminho ligeiramente amargo para a vida adulta em direção a dias mais doces.